Você já se perguntou qual o papel social da Universidade?

Um dos papéis sociais das universidades é manter dialogo e intervenção permanente na sociedade não desvinculando teoria e prática cotidiana.

A UFBA, assim como demais universidades públicas brasileiras, está acomodada em relação aos problemas e vivências das comunidades que a cerca. A desvinculação do conhecimento produzido dentro dos muros da universidade tem sua origem na Universidade da elite, que serve apenas a formação de profissionais para atuação no mundo do trabalho. A distância da universidade de seu caráter público e gratuito se revela no inexpressivo número e no modelo de projetos de extensão; em pesquisas voltadas a atender interesses privados e mercadológicos.

Sem dúvidas, o Reuni dinamizou o caráter da nossa universidade, uma vez que temos cursos noturnos e novas graduações, como Bacharelados Interdisciplinares, cursos como Gênero e Diversidade, Saúde Coletiva, Serviço Social e Gestão Pública. As Ações Afirmativas contribuíram no sentido de ampliar o acesso de negras e negros, indígenas e estudantes de escola pública. Precisamos consolidar um programa de Ações Afirmativas por inteiro, com garantia de acesso e permanência reais.

Precisamos refletir: Qual modelo de Universidade nós queremos? O que faremos para construí-la?

O Compromisso Social da UFBA, que não sai do papel:

  • Incentivo a cursinhos pré-vestibulares e “quilombos educacionais”.
  • Políticas que favoreçam a permanência de indígenas e jovens da periferia.
  • Mecanismos de ingresso de estudantes negras, negros e indígenas aos mestrados.
  • Maior assistência às mães e estudantes do interior.
  • Ensino articulado com a rede pública de Ensino, com o SUS, entre outros.
  • Descolonização do conhecimento: contra o machismo, racismo e homofobia.
  • Reformas curriculares: contextualizar o conhecimento trabalhado.
  • Diálogo com as comunidades ao redor da Universidade.
  • Produção de conhecimento e políticas em conjunto com a sociedade civil organizada.